quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Sobre novos desafios...

Acho que fazia tempo que eu não falava sobre novos desafios...
Hoje é um dia em que senti vontade e necessidade de desabafar a respeito.

Na vida, passamos por altos e baixos, e penso que o maior segredo é saber encontrar o equilíbrio.
E essa mesma "vida" me ensinou na prática coisas que você vai aperfeiçoando ao longo do tempo... Você passa a ter uma noção clara do que funciona e do que não funciona no mundo corporativo.
Muitas pessoas com as quais trabalhei me ensinaram muita coisa, e querer fazer bem feito e me relacionar bem com as pessoas sempre foram algumas das minhas qualidades marcantes.
Dediquei bastante tempo da minha carreira profissional trabalhando para os outros, porém buscando sempre a minha satisfação pessoal e a daqueles que estavam envolvidos comigo.
Hoje, inicio um novo marco na minha vida.
O ano passado já queria arriscar meu próprio negócio. Pelo meu empenho e competência, tenho uma empresa de consultoria e treinamento que começou a dar frutos. Há alguns anos percebi meu espírito empreendedor, mas é sempre aquela história: arriscar sempre dá um frio na barriga né?
Pois bem, agora chegou a hora.
Chegou a hora de eu repensar meus projetos profissionais.
A partir de hoje, meu empregador sou eu!


sexta-feira, 2 de agosto de 2013

terça-feira, 25 de junho de 2013

A hora do ponto.

Tenho conversado com muitas pessoas recentemente e todas elas tem em comum um seguinte ponto: a busca por uma vida mais feliz. Tenho notado que está faltando o brilho, aquela energia plena para completar esse emaranhado de pontos indefinidos.
Só que este ponto, que deveria ser bem definido, transforma-se por algum motivo em pontos diferentes! Percebi que aparecem várias reticências (...) e muitas interrogações (?).....
O ponto final realmente é algo difícil de se colocar. Exige coragem, e mais que isso, exige atitude. E esta, quando vem, faz com que nos desapeguemos de muitas coisas que marcaram nossa vida. Quando desapegamos, permitimos que novos acontecimentos possam vir a fazer parte da nossa história.
Deixar para trás dá uma dor no peito, principalmente quando essas histórias deixam um ar de lembrança feliz. Ou ainda, tomar uma decisão difícil que mudará para sempre sua vida...
Enfim, levo isso comigo, mas é cada dia mais claro para mim que, praticar o desapego é permitir-se. É colocar pontos finais em tudo aquilo que já passou.
Somente dessa forma, poderemos iniciar um novo parágrafo, para construção de uma nova história feliz!
Boa semana!

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Que a justiça seja feita!

Realmente hoje, podemos começar a acreditar que a população acordou no sentido de correr atrás dos seus direitos e exigir o devido respeito das autoridades atuantes quando as condições de sobrevivência que o governo tem proporcionado a sociedade.
O povo brasileiro está cansado de pagar tantos impostos e ver tanta corrupção, escândalos partidários, impunidade, falta de segurança, falhas no sistema de saúde e educação e a passagem R$ 0,20 centavos mais cara. Tem ainda a PEC 37 que é outro despautério.
Entrando no quesito transporte público, o aumento da tarifa é algo que pesa no bolso do trabalhador, visto que os salários não tem acompanhado a inflação... Os alimentos tem subido. Famílias estão revendo seu orçamento. O dinheiro está curto, e readequações dentro do próprio lar tem sido necessárias. Sabemos que reduzir o padrão de vida não é uma tarefa fácil... Enquanto tem-se revisto o orçamento familiar, o governo tem gasto milhões com coisas supérfluas. 
Pessoas estão morrendo na fila dos hospitais. Bandidos não estão tendo a pena que merecem. Temos medo de sair nas ruas devido a tanta violência e segurança falha . Nas escolas, professores e alunos estão insatisfeitos. O professor que dá a formação ao jovem, para compor no futuro as lideranças deste país, é tratado como um subalterno, não tendo sua profissão valorizada. Em contra partida, a escola também não consegue oferecer infra estrutura adequada para um ensino de melhor qualidade. falta recursos. E assim as diferenças só aumentam...
Todos os dias, pessoas tem reclamado e muito do atendimento na saúde pública... E a pergunta é: para onde vai todo o dinheiro que pagamos referentes aos altos impostos?
É obvio que já sabemos! Vai para o bolso de poucos... E é disso que o povo está cansado.
Chega de escândalos, de impunidade, de injustiça.
Agora é a hora da mudança. Faça a sua parte! Mas faça consciente dos objetivos que caminham a favor das necessidades deste país.

Tudo está como deveria ser?

Tudo está como deveria ser? Isso gera bastante reflexão... E o que deveria ser de fato? O que esperamos? O que estamos fazendo para receber em troca o merecido disso tudo?
Penso que:
- é sempre necessário seguir adiante e levar a sério seus objetivos de vida
- sentir-se bem consigo mesmo não tem preço
- se estiver com um par, que ele ou ela te transborde! Afinal de contas, você quando aceita alguém em sua vida precisa estar completa, para ter algo a oferecer
- cultive suas amizades. Ter amigos verdadeiros é algo raro nos dias de hoje
- nunca pare de estudar e agregar conhecimento. Emburrecer é no mínimo lamentável
- pense nos seus momentos de lazer. Afinal de contas, o equilíbrio é fundamental já que a grande maioria das pessoas tem trabalhado demais e esquecem de viver
- se estiver sozinho em Curitiba, lembre-se que há diversas opções para espantar o frio e a solidão: vinho, filme, cobertas e travesseiros fotos. As redes sociais e chats também pode lhe render boas risadas. Mas isso também não serve somente para o Sul! Serve para qualquer lugar! Afinal de contas, há diversas formas de você sentir-se bem com você mesmo
- leia um livro, ou vários livros. Deixe o facebook um pouco de lado. Embora ele traga notícias, vicia. Crie novos vícios tão interessantes como...
- fortaleça seu network... Ele será útil para você a vida toda
- converse com as pessoas. Você pode achar que o "face to face" foi dando lugar a outras formas de comunicação, mas um olhar ou um abraço não tem preço...
Independente da sua condição, se você vive intensamente, faz as coisas como deveriam ser (dentro daquilo que acha coerente), mas também abre mão de outras para viver melhor, certamente as coisas devem estar como deveriam ser...
Namastê!

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Pense bem nas suas atitudes!

É impressionante como as pessoas fazem coisas sem pensar nas consequências para atingir a outra. Fazem por colocar para fora o que incomoda, isso é fato... Mas a forma é que deve ser refletida.
Conheço bem de frustrações, querer sentir-se "por cima da carne seca", como dizem por aí... Mas não é por isso que poderia me dar ao direito de querer atingir a outra se meus planos não tivessem dado certo, ou se você sentiu-se mal reconhecido pelo que fez. O que  você viveu é seu, da outra pessoa e a vida segue. 
Mas não enxergar o próprio umbigo antes de falar da vida alheia é realmente "pra acabar".
Comecei falando tudo isso, por que uma das coisas que tenho sentido falta de ver em situações diversas é a tal ATITUDE! E dela, posso incluir entre tantas coisas, a maturidade, a vontade de evoluir, o se dar valor, o querer ser... Enfim... Existem muitas outras ações que geram atitude e se ficasse aqui escrevendo faltaria lugar!
Porém hoje, refletindo sobre o cotidiano através do tema retratado, conclui que:

"O comportamento das pessoas em algumas ocasiões é algo engraçado demais para fazer com que acreditemos em balelas consideradas verdadeiras por quem quer chamar a atenção. A baixa estima e a frustração são tão grandes que, para sentirem-se empoderadas ou donas da razão, precisam expor seus sentimentos podres. Afinal de contas, a tentativa de atingir alguém deve no mínimo amenizar tal sentimento. Desejo sinceramente que um dia, elas realmente possam ser consideradas pessoas iluminadas, por que o que dá pra sentir diante de tanto vazio é pena." (JS)

Namastê!

Iniciando um novo ciclo

"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
 
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
 
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
 
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
 
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
 
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
 
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
 
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
 
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
 
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
 
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
 
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
 
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
 
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
 
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
 
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
 
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
 
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
 
E lembra-te:
 
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão."

(Fernando Pessoa)