segunda-feira, 29 de março de 2010

Foi Show!


Ontem (28/03) prestigiei o show da Mônica Salmaso, cantora paulista que possui trabalhos maravilhosos, e que relembram os grandes nomes da nossa música popular brasileira.
Mônica nos apresentou um show diferente: ela com sua lindíssima voz, Teco Cardoso nos sopros e Nelson Ayres no piano.
A combinação foi perfeita e mexeu certamente com nosso íntimo, proporcionando, pelo menos em mim, um relembrar de bons momentos, saudade, desejos e de como é bom poder participar de eventos como este!
Adorei!

sexta-feira, 26 de março de 2010

Sutilmente Diferente...

Toda essa calmaria chega até a incomodar...
Ela não se lembrava da última vez que esteve presente consigo mesma. Que sensação boa!
Ela, com ela, com música.. Muitos planos, desejos e sonhos que se clareiam em sua mente.
Enquanto ela permanece ali, o mundo se prepara para mais uma sexta-feira, mais uma aventura, uma loucura, uma diversão.
Ela também... Mas de um jeito diferente..

Sobre os dias cinzentos

Falar sobre dias cinzas me causa sempre um pesar...
Jamais ficava animada ou disposta ao abrir minha janela pela manhã e bater de frente ao incerto do dia...
Só que hoje foi diferente. Iniciei o dia com muita disposição e boas conversas. Na verdade, minha semana foi cheia de novidades e boas conversas! Para alegrar ainda mais meu dia, passei otimos momentos na minha aula de violão, sagrada todas as sextas-feiras pela manhã. Música para mim é realmente revigorante!
Dias cinzentos me lembram muito meu amigo João, que sempre dizia se inspirar mais que de costume.
Quem sabe eu passe a me inspirar mais também!
Bom final de semana a todos!

domingo, 21 de março de 2010

A Saga - Parte 5

Lorena está atônita com os últimos acontecimentos.
Sente-se como se um buraco negro a perseguisse em todos os lugares, a todo momento, sugando aos poucos sua energia e tentando tirá-la deste mundo que tanto a faz sofrer...
Ela me disse que não quer se entregar, mas confessou que suas forças estão por um triz.
Ela não tem sido mais a mesma....

segunda-feira, 15 de março de 2010

Foi Show!

Ontem fui ao Teatro Guaíra assistir ao show dos Titãs e Paralamas do Sucesso, marcando 25 anos de muito rock no cenário brasileiro. 

Desde muito nova fui super fã dos  Titãs, gostava muito de Paralamas, já tinha assistido aos shows, mas confesso que ver essas duas super bandas num momento único foi inédito! E mais, sem palavras sobre o Hebert Vianna... Mesmo na cadeira de rodas, deu um show!

Baterias, guitarras, baixos e vocais, tudo ao "quadrado"! Era muita energia positiva, jovialidade e é lógico que a platéia enlouqueceu!
Não teve como não relembrar da minha adolescência,  principalmente ao som de Lanterna dos Afogados, Sonifera Ilha, Epitáfio, Ela disse Adeus, Novidade, Go Back, Marvin, Diversão e muitas outras!


FOI MUITO BOM!!!

sábado, 13 de março de 2010

Viva um dia de cada vez!


Nos últimos dias, o boteco tem sido um dos lugares que me proporcionou novos negócios, conversa boa, novos amigos e reflexões sobre a vida.
Um dos temas da semana que quero destacar no blog, que rendeu muitos pontos de vista, foi sobre a ansiedade e expectativa das pessoas por quererem antecipar ou prever uma vida que nem aconteceu.
E na realidade, talvez inconscientemente, as pessoas tem reagido dessa forma porque aprenderam que para se ter uma vida feliz, é necessário fazer planos e mais planos. Mas será que enquanto nos fechamos mirabolando os planos para o futuro, não estamos deixando a vida passar?
As pessoas tem se preocupado muito em antecipar o futuro ou remoer o passado, que já ficou para trás... Cada um deve ter um norte para guiar as escolhas, concordo.
Mas o segredo, é viver o PRESENTE!
Bom final de semana!

Canções que eu gosto!

Telhados de Paris
Nei Lisboa

Venta
Ali se vê
Aonde o arvoredo inventa o ballet
Enquanto invento aqui pra mim
Um silêncio sem fim
Deixando a rima assim
Sem mágoas, sem nada
Só uma janela em cruz
E uma paisagem tão comum
Telhados de Paris
Em casas velhas, mudas
Em blocos que o engano fez aqui
Mas tem no outono uma luz
Que acaricia essa dureza cor de giz
Que mora ao lado e mais parece outro país
Que me estranha mas não sabe se é feliz
E não entende quando eu grito

Eu tenho olhos doidos, doidos
Doidos, doidos, doidos
Meus olhos doidos, doidos, doidos
Doidos, são doidos por ti

O tempo se foi
Há tempos eu já desisti
Dos planos daquele assalto
De versos retos, e corretos
O resto da paixão, reguei
Vai servir pra nós
O doce da loucura é teu, é meu
Pra usar a sós

Eu tenho os olhos doidos, doidos
Doidos, doidos, doidos
Meus olhos doidos, doidos, doidos
Doidos, são doidos por ti

sexta-feira, 12 de março de 2010

Divulgando!

Quero divulgar aqui no meu blog o trabalho da minha amiga Eliane, que ainda está caminhando em passos lentos por opção dela, o que eu sinceramente acho um disperdício, e ela sabe...
A Eliane desde o ano passado começou a investir em seu talento como fotógrafa! E fez belíssimas fotos, de amigos que ela selecionou. E eu estou lá no portifólio dela, com meu filhão lindo!
Os resultados foram fantásticos!
Vale a pena espiar:

http://www.elianevasconcelos.com.br/
http://elianevasconcelos.wordpress.com/

domingo, 7 de março de 2010

sexta-feira, 5 de março de 2010

Sobre os vinhos

Ah se não fossem os vinhos...
Eu já teria desabado em prantos
Já teria me perdido
Já teria desistido...
Ah se não fossem os vinhos
Companheiro nas conversas,
Nos momentos que só vejo a escuridão
Traiçoeiro algumas vezes... 
Vinhos... Sempre se tornam cada vez melhores
Quando você está aqui!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Carregando o mundo nas costas...

Hoje tive um dia muito pesado, e para fechar a noite, sai do meu trabalho parecendo carregar o mundo nas costas... E é claro, muito mais pesado que antes.
Vim pensando exatamente sobre o peso de se viver, por se exigir demais das próprias capacidades, pela necessidade de superação, pela vontade de levar a vida cada um ao seu modo só que a sociedade impõem padrões, além dos problemas e mais problemas de ordem pessoal e profissionais.
Não pensem que me excluo deste grupo. Muito pelo contrário, também estou tentando promover a mudança para viver melhor comigo mesma e com o todo. Tem sido uma árdua tarefa, mas acho que estou no caminho certo.
Entrei neste assunto porque hoje fui abordada por uma aluna, que confesso ter me chamado a atenção desde o primeiro dia de aula por vários aspectos: pela vontade de falar mas sufocava, pela sua insegurança e medos, pela vontade de ser quem ela gostaria e não poder, além de carregar nas costas um mundo não é somente o seu.
Após eu ter encerrado a aula de hoje, ela simplesmente se aproximou de mim e começou a chorar (a aula abordou vários aspectos do eu, o que de fato é um tanto quanto instigante...). E eu, que tenho o mundo bem pesado pra carregar não tive como não absorver um pouquinho daquele sofrimento. Conversamos bastante e ela foi embora com uma luz, até sorrindo. Imediatamente pedi a Deus que iluminasse aquela alma boa que estava morrendo em meio ao seu próprio desespero e sufocando por não encontrar a saída..
Confesso que fiquei comovida com o acontecimento e pela confiança que ela depositou em mim. Desejo de coração que ela consiga realizar todos os seus sonhos e desejos e, principalmente, que seja feliz!

No Supermercado...

Este final de semana, me aconteceu um fato que tiraria qualquer um do sério pela falta de vontade de algumas pessoas em facilitar a vida/ ajudar ao próximo...
Fui ao supermercado fazer umas comprinhas e para o meu azar, o supermercado estava lotado. Conseguir  uma vaga de estacionamento era quase que a briga por um lugar ao sol...
Ao chegar com meu carro, percebi a seguinte situação: haviam duas vagas liberadas (aparentemente) próximas à entrada da loja, porém as pessoas continuavam circulando buscando outras vagas. Me pareceu que as "supostas vagas livres" estavam ocupadas...
Quando me aproximei dessas vagas, entendi o motivo... Elas estavam ocupadas por carinhos de supermercados!
Aqueles cidadãos que usufruiram do utensílio, ou seja, os folgados de plantão, não tiveram coragem de guardar suas compras e devolver o carrinho no seu devido lugar...
Pior que isso: as pessoas que ficavam empatando o trânsito não tiveram a capacidade de retirar o bendito carrinho (digo bendito porque se não fosse ele eu não teria conseguido a minha vaga) e estacionar seu carro, o que transformou a circulação de veículos, num pequeno caos.
Reconheço que às vezes temos que fazer o trabalho do outro.... Retirei um dos carrinhos e estacionei. O carro logo atras de mim, que já estava na segunda volta, teve a mesma atitude. Talvez eu o tenha inspirado...
Por isso que eu sempre digo: procurem fazer cada um a sua parte, pois certamente você estará ajudando ao próximo de alguma forma.

Para começar bem a semana!

QUANDO AMEI DE VERDADE 
(Charles Chaplin)

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que a minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra as minhas verdades.
Hoje sei que isso é... Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.

Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável ... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início, minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer ter sempre razão e, com isso, errei muito menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o Futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez.
Isso é... Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é.... Saber viver!!!"