sábado, 25 de julho de 2009

Pra você!

Se fossemos todos previsíveis, seria uma chatice...
Esta frase transformou momentos de extrema melancolia em mais energia e admiração entre eles. Proporcionou a troca de novas experiências. A semente da confiança já havia sido plantada naqueles corações... Emergiram as afinidades e os sentimentos comuns.
A cada olhar sincero, a certeza de que esta sintonia e todo o carinho ainda deixarão muitas histórias pra contar!

sábado, 18 de julho de 2009

Aprendendo a aprender...

Ainda, compartilhando um pouco dos acontecimentos dessa minha viagem...
Não consegui deixar de refletir sobre uma grandiosa atitude do meu filho. Numa determinada parada que fizemos durante a viagem, ele resolveu jogar todas as chupetas no lixo. Atitude de coragem para uma criança que repentinamente optou por se desfazer de um objeto que o acompanhou por quase toda sua existência...
Em nenhum momento até hoje ele quis voltar atrás, mas sei que ao dormir ele sofre pela falta daquela chupeta que um dia ele abriu mão.. Crianças, desde pequenas aprendem a fazer escolhas e trabalham o desapego.
Nós, adultos, não somos diferentes... Talvez piores pois sofremos muito mais com cada perda e ao próprio desapego. Nossas escolhas muitas vezes nos levam ao limiar do céu e do inferno e precisamos dar conta do recado.
Criamos mundos e máscaras, um paraíso doloso para conviver com nosso próprio descontentamento. Também lembramos de respirar.... Às vezes, é melhor a escuridão.
Algo que me agrada diante de cenários diversos é a nossa resiliência diante dos acontecimentos.
Quem disse que não podemos?

Voltando às origens

Desde segunda-feira (13) sai de férias e resolvi viajar com a minha família para minha terra natal (Lucélia-SP) a fim de visitar familiares e rever alguns amigos.
Fico impressionada que a cada vinda para cá, tenho a nítida sensação de que o tempo parou... Meus desejos e anseios não cabem mais aqui...
Contudo, não posso deixar de admirar a adaptabilidade que as pessoas tem de mudar determinada forma de vida e costumes, incluindo a mim que há 8 anos resolvi tomar novos rumos e admimito que deixei algumas coisas daqui para trás.
Por outro lado, a tranquilidade de uma cidade do interior não se compara com o estresse de capital. Tem coisas que faço aqui, que Curitiba não me permitiria e vice-versa.
Talvez o dia em que eu esquecer que tudo não é só correria e minha cabeça desacelerar um pouco, eu me permita a fazer coisas que me lembrem as origens...
Não deixo uma critica neste texto, e sim um aprendizado de que evoluímos, e ainda assim, conseguimos estabelecer uma conexão com tudo aquilo que tivemos durante grande parte da vida.

domingo, 12 de julho de 2009

Ano 1 do blog Reflexões!

Fico muito feliz por sustentar o blog há 1 ano, e sempre com a participação de todos vocês amigos e leitores, deste cantinho cheio de Reflexões.
Hoje, completamos 1 ano de histórias sobre pessoas, escolhas, relacionamentos, o EU, entre outros temas já abordados.
Que as reflexões nos circundem e nos inspirem a compartilhar histórias e pensamentos até a eternidade! A troca de experiências e o aprendizado que trazemos torna tudo isso rico demais!
Obrigada a todos pela participação!
Ainda, coincidentemente, hoje meu amigo Felipe completa mais um aniversário. Deixo aqui meus parabéns!

A Chuva

Chuva intensa...
Intensa como o existir,
o meu ser,
que tem ansia de conquistar o mundo,
e você...

Chuva fria...
Fria como teu coração,
que não permite se aquecer no meu...

Chuva...
Que chova rosas sobre mim,
que você encontre o caminho,
que eu te tenha
e você também...

terça-feira, 7 de julho de 2009

Musicando

Eu e minhas músicas.
Assisti ao show da Ceumar no Teatro Paiol dia 03/07, aqui em Curitiba.
O álbum novo dela está lindíssimo, assim como os anteriores (este é o quarto disco da cantora). Ceumar é mineira, talvez não muito conhecida para alguns, infelizmente.. Tem uma voz maravilhosa!
Mais fantástica ainda, é a canção que vou publicar. Gostei demais!
Segundo ela, até comentário de colunista importante esta música já teve: "vai ser um hit!"

MEU MUNDO

Onde é o fim do mundo
Meu mundo só tem começo
Meus desejos não tem fim

Onde é o fim do mundo
Meu mundo só tem começo
Meus desejos não tem fim

Desejo o fim da guerra cantando pela paz
Cada um faz o que pode cantar nunca é demais
Minha voz bandeira branca quer cantar em qualquer cor
Qualquer língua, qualquer hora
É tempo de falar de amor... falar de amor
Falar de amor, falar de amor...

Meu mundo só tem começo
Meus desejos não tem fim
Meu mundo só tem começo
Meus desejos não
Meus desejos não
Meu mundo só tem começo...

Trovejo com meus próprios olhos
Tropeço nos meus próprios passos
Vou pelo instinto, sinto, não conto compassos
Não entro no jogo, não faço apostas
Dentro de mim mora um anjo que vive
Do jeito que o diabo gosta
Do jeito que o diabo gosta
Do jeito que o diabo gosta

Meia dúvida...

Nao sei se fico ou vou embora
Se amo ou odeio
Se abandono...
Tem gente querendo, eu não quero
Tem horas que sabe-se lá o que quero
Tem gente que não quer nada com nada
Tem aqueles que lutam demais
E os que desistiram na caminhada...
Só sei que quero ser feliz!

Sutis Diferenças

Ainda estou a pensar sobre o comentário que fez um amigo hoje, quando almoçavamos, sobre coisas essenciais do dia-a-dia, que (felizmente para uns e infelizmente para outros) não podemos dispensar.
Segundo ele, as coisas que mais incomodam a vida de um homem é fazer a barba e cortar o cabelo.
Tudo isso porque para um homem fazer um corte de cabelo, ele não leva mais que 20 minutos. Nós, mulheres, gastamos até 3 horas no salão de beleza, com o intuito de sairmos mais belas do que quando entramos. É uma tintura aqui, um corte de cabelo ali, uma hidratação, a salvadora progressiva, e com todas essas possibilidades, ficamos louca de felizes!
Quanto a barba, ainda bem que não precisamos fazer... Ainda assim, sofremos com a tal da depilação, que depois de tanto sofrimento, já nem doi tanto quanto no início. Abolir a idéia de não fazermos as unhas uma vez por semana. Indispensável...
Desse jeito, nós mulheres buscamos a cada dia fazer coisas que, além de melhorarem nossa aparência (afinal, essa é a idéia), aumentam a nossa auto-estima para nós mesmas e perante os outros. Perder horas em centros de beleza para cuidar da gente não tem preço!
E ainda assim, meu amigo que bem o conheço, vai continuar praguejando o resto da vida que fazer a barba e cortar o cabelo o incomodam tanto...

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Sobre as pessoas...

Recebi este texto da minha amiga Eliane e achei muito bacana para reflexão da semana.

"Nunca desvalorize ninguém
Guarde cada pessoa perto do seu coração
Porque um dia você pode acordar
E perceber que você perdeu um diamante
Enquanto você estava muito ocupado colecionando pedras."

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Dueto 2

(Prelúdio)

Este frio que teima em nos tocar. Quando tudo é cinza, cores não nos distraem e temos tempo para pensar...

Ao lembrar-me de ti só consigo sorrir, imerso em lembranças da nossa história paralela onde nos permitimos conhecer, sentir e encantar. Digo que neste universo particular, erigido de momentos sublimes (muitos engraçados também, mas ainda assim sublimes), bons tempos passei, confesso.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Samba da Bênção, de Vinícius

Nada como um belo samba para inspirar um belo dia!

"É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração

Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
É preciso um bocado de tristeza
Senão, não se faz um samba não

(Senão é como amar uma mulher só linda
E daí? Uma mulher tem que ter
Qualquer coisa além de beleza
Qualquer coisa de triste
Qualquer coisa que chora
Qualquer coisa que sente saudade
Um molejo de amor machucado
Uma beleza que vem da tristeza
De se saber mulher
Feita apenas para amar
Para sofrer pelo seu amor
E pra ser só perdão)

Fazer samba não é contar piada
E quem faz samba assim não é de nada
O bom samba é uma forma de oração

Porque o samba é a tristeza que balança
E a tristeza tem sempre uma esperança
A tristeza tem sempre uma esperança
De um dia não ser mais triste não

(Feito essa gente que anda por aí
Brincando com a vida
Cuidado, companheiro!
A vida é pra valer
E não se engane não, tem uma só
Duas mesmo que é bom
Ninguém vai me dizer que tem
Sem provar muito bem provado
Com certidão passada em cartório do céu
E assinado embaixo: Deus
E com firma reconhecida!
A vida não é brincadeira, amigo
A vida é arte do encontro
Embora haja tanto desencontro pela vida
Há sempre uma mulher à sua espera
Com os olhos cheios de carinho
E as mãos cheias de perdão
Ponha um pouco de amor na sua vida
Como no seu samba)

Ponha um pouco de amor numa cadência
E vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba, não

Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração

(Eu, por exemplo, o capitão do mato
Vinicius de Moraes
Poeta e diplomata
O branco mais preto do Brasil
Na linha direta de Xangô, saravá!
A bênção, Senhora
A maior ialorixá da Bahia
Terra de Caymmi e João Gilberto
A bênção, Pixinguinha
Tu que choraste na flauta
Todas as minhas mágoas de amor
A bênção, Sinhô, a benção, Cartola
A bênção, Ismael Silva
Sua bênção, Heitor dos Prazeres
A bênção, Nelson Cavaquinho
A bênção, Geraldo Pereira
A bênção, meu bom Cyro Monteiro
Você, sobrinho de Nonô
A bênção, Noel, sua bênção, Ary
A bênção, todos os grandes
Sambistas do Brasil
Branco, preto, mulato
Lindo como a pele macia de Oxum
A bênção, maestro Antonio Carlos Jobim
Parceiro e amigo querido
Que já viajaste tantas canções comigo
E ainda há tantas por viajar
A bênção, Carlinhos Lyra
Parceiro cem por cento
Você que une a ação ao sentimento
E ao pensamento
A bênção, a bênção, Baden Powell
Amigo novo, parceiro novo
Que fizeste este samba comigo
A bênção, amigo
A bênção, maestro Moacir Santos
Não és um só, és tantos como
O meu Brasil de todos os santos
Inclusive meu São Sebastião
Saravá! A bênção, que eu vou partir
Eu vou ter que dizer adeus)

Ponha um pouco de amor numa cadência
E vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba, não

Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração"

Injustiças?

Todos os dias temos presenciado nos noticiários escândalos políticos, aviões que caem num piscar de olhos, as desigualdades sociais, o mundo do tráfico de drogas, as falhas do modelo educacional, a perda de ídolos, a crise...
Muitas vezes nos colocamos como meros espectadores diante dos fatos, e tal atitude nos tem bloqueado de trazer para perto de nós as conseqüências disso tudo. É como se nada disso interferisse em nosso mundo individual..
Vivemos uma vida louca, em que precisamos provar primeiro para sociedade o quanto somos capazes de nos superar perante os outros. A própria competição talvez antigamente tivesse o nome de "pacífica convivência". Agora não dá mais...
Ainda, precisamos ter status, titulações, entre outras coisinhas materiais básicas de sobevivência para conseguirmos um mínimo de respeito, espaço e reconhecimento perante a uma sociedade repleta de hipocrisia. Quem acredita numa causa nobre, está arduamente tentando fazer a sua parte para mudar este cenário de desigualdade, que nós mesmos criamos. Será que estamos conseguindo viver pacificamente com o nosso eu?
Ao observar todos os movimentos que acontecem no meu dia, vejo predominar uma falsa benevolência...
Prefiro fazer a minha parte, do meu jeito, desde que consiga fazer alguma coisa pela próximo e para que minha alma tenha paz.