sábado, 31 de janeiro de 2009

Sobre Relacionamentos

"Sete coisas sobre relacionamento, mas sob o meu ponto de vista lógico...

1- Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa: 'Ah, terminei o namoro... ''Nossa quanto tempo?''Cinco anos... Mas não deu certo... Acabou... É não deu... '
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.

2- Hoje, no alto dos meus 33 anos e tiozão, não acredito muito no dito que diz que os 'opostos se atraem'.
Porque sempre uma parte vai ceder muito e se adaptar demais.
E sempre esta é a parte mais insatisfeita.
Acredito mais em quem tem interesses em comum.
Se você adora dançar forró, melhor namorar quem também gosta, se você gosta de cultura italiana, melhor alguém que também goste. Freqüentar lugares que você gosta ajuda a encontrar pessoas com interesses parecidos com os teus.
A extrovertida e o caretão anti-social é complicado e depois, entra naquela questão de' um querer mudar o outro, uiuiui...
Pessoas mudam quando querem. E porque querem. E pronto. E demora!

3- Cama é essencial!
Aliás, pele é fundamental. E têm gente que é mais sexual, outras que são mais tranqüilas.
O garanhão insaciável e a donzela sensível, acho meio estranho.
Isto causa muitas frustrações e dá-lhe livros de auto-ajuda sobre sexo. Assim como outras coisas, cada um tem um perfil sexual.
Cheiro, fantasias, beijo, manias, quanto mais sintonia, melhor.

4- Não acredito em pessoas que se complementam.
Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ela é carinhosa, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.

5- Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante... E se o beijo bate... Se joga... Se não bate... Mais um Martini, por favor... E vá dar uma volta.

6- Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa ta com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não. Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas, medos...
Mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, pressão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice-versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós.
Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?

7- Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser , um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal,você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. È mais previsível!
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim... Quem disse que ser adulto é fácil?"

(Autor desconhecido)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

A prática de se doar

"Ninguém sabe o ponto certo de se doar e quanto vale à pena. É verdade... Às vezes, não vale. A gente se dá sem querer nada em troca. Por quanto tempo conseguimos encher copos de água para o outro enquanto morremos de sede? Não será essa atitude uma maneira de simplesmente alimentar o egoísmo do outro? É cômodo apenas receber..." (Débora Böttcher)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O Inesperado...

Vivemos a cada dia, cada momento prevendo ou pelo menos tentando externalizar nossos verdadeiros desejos por mais improváveis que sejam e das formas mais abstratas; segundo tudo, tudo tem seu tempo....
Marieta andava triste, muito triste. Tudo começou da forma que ela menos desejava e tão pouco que todas as coisas tomassem proporções tão grandes e que dependeriam apenas da forma como ela conduziria seu próprio destino daquele momento em diante..
Ela aprendeu que o desequilibrio é vital para o fortalecimento de si mesma, e ainda, que dava-lhe imenso poder de contagiar aquele que realmente precisa de um pouco de afeto, de amor.
O inesperado talvez nem seja o inesperado, e sim aquele frio ou a dor que sentimos no fundo de nossa alma, que nos inquieta e agoniza sem dia e hora, sem dó... Mas também, o inesperado pode nos trazer a melhor das sensações: a plenitude, a paz....