sábado, 28 de março de 2009

Sobre a Amizade...

..."Milan Kundera, escritor tcheco, escreveu em seu último livro, A Eternidade, que a amizade é insdispensável para o bom funcionamento da memória e para a integridade do prórpio eu. Chama os amigos de testemunhas do passado e diz que eles são nosso espelho, que através deles podemos nos olhar. Vai além: diz que toda amizade é uma aliança contra a adversidade, aliança sem a qual o ser humano ficaria desarmado contra seus inimigos.
Amigos recentes custam a perceber essa aliança, não valorizam ainda o que está sendo construído. São amizades não testadas pelo tempo, não se sabe se enfrentarão com solidez as tempestades ou se serão varridos numa chuva de verão.
Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises de choro, experiência. Racha a culpa, racha segredos. Um amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta. Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele e topa conhecer o teu. Um amigo não passa apenas cola. Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon.
Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado. Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador. Duas dúzias de amigos assim, ninguem tem. Se tiver um, amém."
(Martha Medeiros)

Conserto para Corpo e Alma

Em meio a um processo de mudança que estou fazendo neste momento, encontrei este belíssimo texto de Rubem Alves (datado no meu papel de 22/04/2001) que merece ser compartilhado com vocês!

"Compreendi então,
que a vida não é uma sonata que,
para realizar sua beleza, tem de ser tocada até o fim.
Dei me conta, ao contrário,
de qua a vida é um álbum de minisonatas.
Cada momento de beleza vivido e amado,
por efêmero que seja, é uma experiência
completa que está sendo destinada à eternidade.
Um único momento de beleza e amor
justifica a vida inteira."

sexta-feira, 27 de março de 2009

Memórias...

Por que dói tanto quando não conseguimos resolver nossas paixões ou quando a perdemos, mas o sentimento fica?
Marieta...
Muito aprendizado, fracassos e decepções. Ainda, muita dor por ainda sentir na pele um amor que ela achou que já fosse passado, mas ao que parece, ainda lhe rouba súplicas..
Garota de princípios, forte e que não desiste fácil das coisas.. Independente...
O que lhe mata são as lembranças daquele tempo que ela traduz como " louco amor de tormentos"... Tudo foi intenso, porém perturbam seu sono e atiçam seus medos...
Tormentos...
"O que me falta para esquecer e deixar tudo isso apenas na memória?"
E ela chorou...

quinta-feira, 26 de março de 2009

O poder da humildade

Busco constantemente aprofundar meus conhecimentos e percepção sobre como "funcionamos". Aprendizados nos levam a aprimorar o auto-conhecimento e como consequência, atingir a plenitude de viver.
Encontrei um texto de Paulo Coelho nas minhas coisas e estava aguardando uma oportunidade de compartilhá-lo. Acho que chegou a hora!

" Eu aprendi que não importa o quanto ruim seu coração possa estar, o mundo não pára por seu pesar... Eu aprendi que não devemos mudar um amigo, e sim aceitá-lo como ele é...

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

"Aprender uma coisa significa entrar em contato com um mundo do qual não se tem a menor idéia. É preciso ser humilde para aprender."

quarta-feira, 25 de março de 2009

Angústias

Por que será que somos seres tão instáveis e imprevisíveis minuto a minuto? Ora felizes, de repente tristes, e vice-versa? Mais uma história...
Marieta a tempos vem tentando se livrar de tudo aquilo que a tem incomodado para começar a VIVER, e estava conseguindo! (Pode até ser questionável o fato de estar sempre se livrando de alguma coisa o tempo todo, mas se ela julgou que este é melhor caminho que assim seja!)
Estava feliz pelas escolhas e por tudo de novo que lhe estava acontecendo. Porém, o acaso da vida nem sempre trazia somente aquilo que desejava: mudanças estavam prestes a acontecer; talvez um novo ciclo estaria por vir.
Marieta sempre foi uma garota muito intensa e verdadeira em tudo que fazia, e suas experiências só se fizeram confirmar a cada dia pelo seu valor como menina, mulher... O que ela levaria consigo para contar no futuro, só a ela caberia...
Cada mudança ou momento que passamos no cotidiano nos causam reações diversas e quando nos damos conta, o que era bom já se foi, a alegria sufocou e nosso brilho se perdeu na escuridão dos nossos medos e receios de viver a vida como ela deve ser. Como dizia Gandhi, "você deve ser a mudança que deseja ver no mundo"....

terça-feira, 24 de março de 2009

O Sentido dos Antônimos...

Depois de um dia longo e interessante, aqui estou a refletir sobre um texto que li sobre escolhas e desafios e que me fez lembrar de algumas situações que intereferem diretamente no cotidiano e na vida das pessoas.
Pela carga diária de atividades que temos as vezes não nos damos conta de quantas decisões tomamos a cada minuto, o peso das palavras que utilizamos a cada segundo, das tarefas que aceitamos e assim por diante.
É uma pena não termos tanto tempo para avaliar nossos sucessos e potencializar nossa capacidade de fazer acontecer. Só lamentos.. Ainda, o quanto deixamos de dar valor para certas coisas pequenas e com imenso significado, por escolhermos simplesmente o fluir que na maioria das vezes é vazio e sem rumo.
Nos apegamos ao que tem significado para os outros e não a nós mesmos, deixamos de falar quando deveríamos, deixamos até de viver, renunciamos... E questiono: o que estamos fazendo com a gente? Tudo isso é triste, mas real...
Acredito que nada acontece por acaso e que depois que qualquer tempestade vem a bonanza. As escolhas certas ou erradas, alegrias e decepções, sucessos e fracassos sempre nos norteiam e provocam a nos tornar pessoas melhores e experienciar aquilo que temos medo de encarar.. E assim nasceu mais uma história.
Certa vez conheci uma garota que resolveu mudar de vida, mudar de amor, mudar sua história. Por muito tempo eu só conseguia ver sofrimento naquele olhar... De repente, num momento de sua vida estagnada por uma obsessão sem futuro, ela resolveu se libertar e para minha alegria, ela voou novamente...
Em muitas ocasiões tendemos a acreditar que turbilhões de opiniões são fundamentais para nos ajudar a tomar decisões. Porém, sem determinação ou vontade para isso, de nada irá adiantar. O coração e a mente sabem a hora certa de mudar e ainda nos mostra o melhor caminho a seguir.. É só acreditar!

sexta-feira, 20 de março de 2009

O Tempo


Mais uma vez ele complementando meu blog com suas preciosidades, tão atuais. Como eu gosto do Mário Quintana... Suas poesias sempre são grande fonte de inspiração. Não é a toa que foi um dos maiores poetas brasileiros do século 20.
Para aguçar nossas reflexões, nada como fechar a semana falando sobre o tempo...

"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará."

sexta-feira, 13 de março de 2009

Aprendizados para toda vida

Revirando os meus textos encontrei algo interessante de Shakespeare, (embora alguns sites dizem que o texto não é dele) que foi um dos maiores dramaturgos e poeta inglês de todos os tempos.
De qualquer forma, não quero entrar no mérito de quem é o texto. O que importa é que ele é belíssimo por abordar a convivência e aprendizados que adquirimos ao longo da vida. Vale a pena refletirmos a respeito já que buscamos desesperadamente uma fórmula para conviver melhor com as pessoas e consigo mesmo...

" Depois de algum tempo você aprende a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos nem promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque no terreno do amanhã é incerto demais para os planos e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E que não importa, quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar por aliviar as dores emocionais. Descobre que se leva um certo tempo para construir confiança e apenas alguns segundos para destruí-la e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar os amigos se compreendermos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa ou nada e teremos bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa... Por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que a vejamos.

Aprende que as circunstâncias que os ambientes têm, influencia sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser e que o tempo é curto. Aprende que não importa aonde já chegou, mas onde está indo e se você não sabe onde está indo, qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que a paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes as pessoas que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que a maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é o suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a se perdoar. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços o seu coração foi partido, o mundo não pára pra que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar...Que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem mais valor e que você tem valor diante da vida!"

quinta-feira, 12 de março de 2009

Existe luz no fim do túnel?

Marieta e mais uma de suas histórias...
Belo dia, em um dia qualquer, Marieta se deparou com algo inesperado: em meio a escuridão, uma luz!
Mas não era qualquer luz. Luz verdadeira, sincera e com vontade de iluminar o que era talvez para ser.
Não demorou muito até Marieta perceber o significado de tudo isso....
Um amigo querido que virou blogueiro a pouco tempo e vem publicando a cada dia textos fantásticos que nos fazem refletir sobre vários temas do cotidiano. Ele publicou a poucos dias algo que falava sobre certa "crise" do ser humano em ser realmente o que ele deve ser, ao invés de acreditar ou se conformar com algo inferior ao que ele realmente pode ser ou fazer ou viver, enfim...
Acredito que não há nada mais compensador do que nos permitirmos ser ou viver aquilo que temos vontade e que realmente acreditamos, independente das críticas ou paradoxos impostos pela sociedade ou pelos fofoqueiros e especuladores de plantão.
Não há nada que pague os momentos intensos que vivemos em nossas vidas, seja a cada dia, ou em algum dia...
Não consigo não pensar em Fernando Pessoa quando ele diz que tudo vale a pena quando a alma não é pequena...
Por isso, queridos amigos, só nos resta viver!

domingo, 8 de março de 2009

Essas Mulheres!


Não poderia deixar de postar no meu blog algo sobre o Dia Internacional da Mulher... Gostaria de compartilhar uma bela mensagem que recebi de um amigo sobre nós, Mulheres!

terça-feira, 3 de março de 2009

MULHERES POSSÍVEIS

Recebi este texto de uma amiga querida e embora já o tenha lido em outra ocasião, gostaria de compartilhar com todas as Mulheres e a todos que as admiram: são guerreiras, de personalidade forte, sensíveis, compreensivas, independentes, apaixonadas e sabem o que querem...

'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO.
Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.
Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.
Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.
É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias.
Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto...
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo.
Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'.


Texto de Martha Medeiros - Jornalista e escritora
(Revista do Jornal O Globo)